Gatos disponíveis para adoção

Colombo

....

Yakissoba

Olá. Você gosta de Yakissoba? Vai passar a gostar ainda mais agora: também sou Yakissoba, uma gatinha frajola linda e simpática. Fui resgatada de uma comunidade com meus seis filhotes, que já eram gra...

Preta Gil

Olá, gente. Sou a Preta Gil, essa gatinha graciosa de pelos pretos e olhinhos amarelados. Não sou cantora, mas tenho um glamour de superstar! Como vocês podem ver nas fotos, adoro achar um cantinh...

Angelina

Oi, meu nome é Angelina. Cheguei na Catland depois que fui resgatada das ruas, onde eu estava em situação de risco. Aqui na ONG tem sachês, muitos gatinhos e prateleiras... Ah, as prateleiras! Adoro f...

Nádia

Olá, meu nome é Nádia. Tudo bom? Sou uma gatinha muito fofa e já fui mamãe. Quando eu estava grávida, procurei abrigo em uma escola pois precisava de um lugar seguro para ter minhas filhas, a Irina e ...

Sashimi

Oi! Sou a Sashimi, uma frajolinha de olhos verdes (e lindos, rs). Fui resgatada de uma comunidade na Zona Leste de São Paulo junto com meus bebês – sim, já sou mamãe. Lá nós vivíamos em um bando com o...

Eros

Oi, sou o Eros, tudo bem? Cheguei aqui na Catland depois que meus tutores não tiveram mais condições para cuidar de mim. Apesar de ser bem tratado aqui na ONG estou à procura de um lar. Eu sei como é ...

Trovão

Olá, meu nome é Trovão. Mas não precisa se preocupar com chuva e nem se assustar: o único barulho que faço é "miau", rs. Fui deixado na porta de uma moça conhecida por ajudar gatinhos. Ela não podia f...

Ravióli

....

Confete

Oi, meu nome é Confete, sabe porquê?! É que cheguei na Catland bem nos dias de Carnaval. Eu estava com minha irmã, a Purpurina. Somos a dupla perfeita para cair na folia, rs! Sou bastante apegado a el...

Gina

Olá, meu nome é Gina. Sou uma gata frajolinha de olhos verdes encantadora, não acham?! Eu vivia nas ruas, até que fui resgatada por uma moça que cuidava de gatinhos carentes e ela me trouxe para a Cat...

Margarida

Oi, gente! Eu sou a Margarida! Sou tímida e um pouco assustadinha, pois vivia em uma galpão abandonado. Imagina que perigo ficar vivendo por lá, né?! Mas o pessoal da ONG me resgatou e ainda me ajudar...